sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Código de Conduta

Ontem, dia 16 de fevereiro. No mesmo dia que a Lei Ficha Limpa é validada pelo Supremo Tribunal Federal, chega ao fim os quatro dias do julgamento de Lindemberg Alves, condenado pela morte da ex-namorada Eloá e outros 11 crimes. Por que um fato comove a opinião popular de tal forma a serem feitas manifestações de solidariedade à família e pedidos por justiça, e o outro mal é comentado?




O que faz com que alguns assassinatos sejam colocados em evidência e explorados? São mais vendáveis, já que comovem a população. Uma população que clama em frente aos fóruns por justiça é a mesma que ignora os escândalos diários da política brasileira. Há uma voz gritante para um lado e um pensamento que se cala e se aliena por outro. Qual a diferença?


Assassinatos brutais como o de Eloá Pimentel e Isabela Nardoni trazem alguns paradigmas à tona. Tirar a vida de uma criança inocente choca sim. Mas não vejo muita diferença para os crimes em que milhões de crianças têm seus futuros comprometidos. Nesse sentido o senador e ex-procurador da República Pedro Taques é autor da proposta de incluir a corrupção na lista de crimes hediondos. Nada mais "justo".


Já a decisão do Supremo torna inelegíveis, por oito anos políticos, cassados, que renunciaram ao mandato para fugir de processo de cassação e os condenados por órgão colegiado, independente de o caso ter ou não sido julgado em última instância. Isso atinge diretamente alguns nomes, como o deputado Romário, o ex-ministro José Dirceu e o ex-governador Joaquim Roriz. E ah, guarde bem esses nomes: Cezar Peluso, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Celso Mello eles votaram contra à Lei Ficha Limpa.

3 comentários:

  1. Amei esse texto. Muito oportuno! Acredito que as pessoas querem ver "sangue", "pessoas sendo enforcadas", pois alguém deve pagar por todas as trocidades que acontecem no mundo. Lindemberg deve mesmo pagar por todos os crimes que cometeu, e que o mesmo aconteça com os nossos governantes!

    ResponderExcluir
  2. COncordo plenamente com tudo o que foi exposto. A população que julga alguém como Lindemberg se cala com coisas muito piores. Já que é um blog darei minha opinião. No caso Lindemberg eu o inocentária. Ontem me perguntaram o pq. Eis minha resposta: Uma pessoa é movida por sentimentos, muitos desses sentimentos veem de forma irracional e que muitas pessoas não conseguem trabalhar com eles, pois bem, esse foi um caso. Não digo que não errou, pelo contrário, errou sim. Mas, acredito eu, que o caso tomou proporções "catastróficas". Quando ele foi até a casa da sua então, ex namorada, ele estava motivada pelo ciume. Acredito que não queria fazer mal algum. Volto a dizer, não digo que ele está certo, mas acredito que já pagou pelo que fez. Ele a amanva e acredito que a dor que sentiu, o remorso que sentiu é algo que jamais será esquecido. Como apontado pela sua advogada no tribunal, Lindemberg sempre foi um rapaz trabalhador. Sustentava a familia. No dia que teve todo a "causa" deveriam ter chamado um psicologo, pois ele estava "fora de si" como dizem. E se ele estava fora de si, como foi alegadao na mídia, não poderia responder por seus crimes, pois estava psicologicamente incapaz. Então, concordo perfeitamente que para os corruptos deve se aplicar a pena máxima com todos os agravantes possíveis. Afina a saúde em nosso ´país é uma merda (desculpem o palavrão)e quanta crianças, jivens, idosos e pais de familia morrem diariamente por falta de atendimento? Sou a favor da Proposta de Pedro Taques e tornar a corrupção um crime hediondo. Vamos lutar por isso!
    Obrigada pelo espaço Dessa!

    ResponderExcluir
  3. Ótima sacada Dessa!!! Realmente não entendo como muitas pessoas conseguem deixar seus lares e pedir justiça em nome dos outros e não fazer o mesmo por si. É triste ver que o clamor popular não provoca o mesmo efeito com a nossa política.

    ResponderExcluir