terça-feira, 25 de setembro de 2012

Por um mundo com mais ursinhos de pelúcia e livros infantis

Monteiro Lobato tem sido tema de grandes discussões, inclusive no Supremo Tribunal Federal. Sob a justificativa de racismo, o livro Caçadas de Pedrinho e o conto Negrinha podem ser proibidos nas escolas de todo País.

Hoje, um filme de comédia foi o alvo das acusações - sob a ótica da apologia às drogas - do deputado federal, Protógenes Queiroz. 

O mundo está cada vez mais chato. Na tentativa de proibir e controlar o que sempre existiu, o que é de sua própria natureza, o homem se confunde com a própria tecnologia que criou. Tecnologia e informação, pra que? Um distanciamento de quem está próximo, para aproximar-se do que antes era desconhecido. Quanta evolução...

Eu cresci entre as estórias de Monteiro Lobato e sempre associei a Tia Nastácia a coisas boas. Imagens, cheiros e gostos povoavam a minha imaginação, que fluía de acordo com a descrição do autor, perfeitamente contextualizada, basta olhar para trás e conhecer sua própria história. Os negros viveram a escravidão e tiveram que se inserir em uma sociedade já estabelecida. Aliás, essa sociedade parece que sempre foi estabelecida, sempre estamos seguindo padrões e não permitimos a oportunidade de enxergar além de dogmas.

Quanto ao filme Ted, ainda não assisti. Mas agora estou mais incentivada pela curiosidade de saber o que fez com que um político, que já fora acusado por ter usado métodos duvidosos em sua empreitada, defendesse tão vorazmente a moral. 

 das telas do cinema brasileiro. Não aceitamos mais esses enlatados culturais americanos no Brasil.

Esse é o desabafo de um pai, que leva seu filho de 11 anos para assistir a um filme cuja classificação indicativa é 16 anos. Mas, segundo ele, o filme não seria indicado para idade nenhuma. 

Não sei o que é pior: pensar em tentativa de censura na ânsia por proibir o que sempre existiu, ou pensar que o pai-político-delegado não leu a sinopse ou sequer consiga compreender uma metáfora ou uma obra de arte. As hipóteses me desagradam profundamente...

Nenhum comentário:

Postar um comentário